top of page

Cozinha vegetal

Alimentar-nos de ideias, de gente, de emoções, da revolução que queremos viver.

Esse é o convite da proposta de alimentação da Imersão Dança-Ritual.

Em oposição à correria cotidiana de refeições engolidas entre telas e preocupações, fica o convite à mesa pra um momento de experimentação, comunhão e troca: consigo mesma, com as outras e com a terra transformada em alimento.

Fernanda Peniche (1).jpg

Reverenciamos, juntas, a fertilidade que nos cerca através do sentir, convidando nossos sentidos para dançar junto a preparos que respeitam a sacralidade da terra e do tempo. Honrando as mãos de quem semeou e colheu cada folha, fruto ou semente enquanto saboreamos memórias resgatadas ou criamos novas.

A alimentação é 100% vegetal e, sempre que possível, orgânica e agroecológica. 

O cardápio é pensado de forma a ser um complemento das práticas corporais - material e simbolicamente -, proporcionando nutrição e acolhimento sem perder de vista o sabor e a qualidade dos insumos.

Na elaboração dos pratos, são levadas em consideração também possíveis restrições alimentares das participantes, garantindo que tenhamos uma alimentação inclusiva para todas.

Salomé (1).jpeg

Ainda, preparamos sempre uma prática de cozinhação coletiva. O fazer juntas como um momento de celebração para nos reapropriarmos da cozinha enquanto um espaço de bruxaria. Entendendo a bruxaria não só como a alquimia entre os ingredientes, mas como toda a magia que é movida quando estamos entre mulheres, trocando experiências e alimentando umas às outras de comida e afeto. 

 

Bailamos com vegetais, ervas e especiarias na esperança de despertar uma outra relação com o alimento e com o ato de cozinhar, não só durante a imersão mas no cotidiano de cada uma. Uma relação menos intermediada por embalagens e mais pé no chão. Ao final da imersão, cada uma leva consigo não só as memórias sensoriais vividas, mas também um caderno de receitas com o passo a passo de cada preparo da experiência.

bottom of page